A voz que fez barulho no @vozdacomunidade

 

Tudo começou com um sonho de menino.

Renê Silva dos Santos, de 17 anos, sonha em ser jornalista. Morador de uma casa humilde, pequena, no Morro do Adeus, um dos morros que fazem parte do complexo do alemão, assistia de frente os conflitos que estavam acontecendo na área. Foi então que Renê, decidiu dividir e, principalmente informar, a tensão que o complexo estava vivendo e criou o twitter do Voz da Comunidade, o mesmo nome do jornal que ele criou e circula na comunidade em que vive.

Parece que passar informação é o talento do menino. E é. Há cinco anos atrás, Renê pediu ajuda a escola pública em que estuda para fazer um jornalzinho e reproduzir com xerox na comunidade. Foi a forma que o adolescente encontrou para ajudar, a incluir os vizinhos na informação, no dia a dia da comunidade, já que são muito carente de tudo. Logo depois, ganhou um Leptop usado, mas o suficiente para conectar a internet e fazer parte das mídias sociais, como o twitter, que tem o mesmo nome do Jornal “Voz da Comunidade. Hoje, o jornalzinho continua circulando mensalmente na comunidade como uma tiragem de 5 Mil exemplares.

Mas foi preciso acontecer toda a violência entre Policiais e Traficantes, no Rio de Janeiro, para o Twitter voz da comunidade ficar popular.

Renê publicava cada novidade, cada movimento, ação, tudo que acontecia no Morro do Adeus, um dos lugares de conflito, para a população,  através do microblog. A repercussão foi tão grande que gente da Noruega, Argentina e Estados Unidos procurava o garoto para saber como estava a situação no local. O novo “twitteiro” quase não acreditou quando em um dia seu número de seguidor foi de 180 para quase 22.000 seguidores!!

Renê, através do Microblog, tornou-se um exemplo de Jornal Cidadão, no qual a razão é passar informação, atualizar a sociedade dos acontecimentos sociais. O garoto de apenas de 17 anos, trocou ideia, procurou ajudar a sociedade, atingindo a iformação não apenas para sua comunidade, mas para a sociedade toda.

E você pode ler todas essas informações cidadãs através dos links abaixo:

Twitter: http://www.twitter.com/vozdacomunidade

Site: http://www.vozdacomunidade.com

Contato: contato@vozdacomunidade.com

 

 

Texto para Web – Através da Pirâmide Invertida.

O que um leitor espera de um texto de web? Ou, o que o jornalista espera escrever em um texto de web? Como escrever esse texto?

O neo-texto jornalístico, é a novidade pro escritor.

Além, de várias informações serem publicadas a cada minuto, é o formato que diferencia do texto impresso, do rádio e da Tv.

O texto da internet  é fácil de ser explicado quando comparado e estudado através da Pirâmide Invertida.

O primeiro detalhe importante da pirâmide invertida, é o título. É preciso ajustar o título externo da pirâmide para que seja possível utilizar em dispositivos portáteis, como: MMS, SMS, WAP e SYK.

O tipo de pirâmide invertida mais comun é aquela que é divida em tópicos.

Os tópicos são ordenados de acordo com a importância dos seus títulos. Eles são postos a esquerda da pirâmide,  destacados em negritos, com frases importantes. Esses tópicos, são divididos em frases, listas, intertítulos. Trata-se do conceito de Pirâmide invertida Horizontal.

A pirâmide invertida de segundo nível, também é dividia em temas, porém, em blocos separados, mas todos com o formato da pirâmide invertida.  Cada bloco, tem seu título, mas, todos numa mesma página.

Por último, entende-se a pirâmide de terceiro nível, no qual uma pirâmide maior tem um tema e é dividida em pirâmides menores com subtítulos do mesmo tema. Ou seja, cada pirâmide “menor” é um link, que o navegador do site, fica a vontade para acessar. Lembrando que esta, é a mais utilizada para textos de web.

O jornalista de texto para a internet, pode se basear em qualquer uma das três pirâmides invertidas para escrever o seu texto. Todas tem fundamento na web. Agora é só escolher, estudar e praticar muito o texto jornalistico digital, de web, ou de internet, como preferir.

Crime Digital

Meu primeiro Blog. Então, não esperem muito. Prometo o esforço, ao menos.

Crime Digital. Foi o assunto que escolhi para refletir, compartilhar, entender e até buscar soluções. Pensar que na mesma velocidade, rapidez que a revolução digital aconteceu, veio também a criminalidade, o conflito, o medo e até mesmo o bloqueio ao acesso na internet, é um tema que me instiga a pesquisar como e porquê isso aconteceu.

Quero publicar casos, estórias, reflexões e debates sobre o tema.

Vamo ver se consigo. Desafio!

Renata Cavalcante.